Eventos

23/02/2017

Oficina Insights ? Consciência nos negócios

Introdução: Cuidado com o índice de cegueira
Quando se trata de negócios, organizações, empreendimentos ou projetos, diversas vezes nos deparamos com uma velha pergunta, “O que aconteceu dessa vez?”

Pode parecer incomum ou generalista demais para alguns, mas é só prosseguir na leitura para constatar que estamos tratando de um dos maiores problemas enfrentados por grande parte dos líderes e empresários: o ponto cego.

O termo “ponto cego” é utilizado pelo motorista de automóvel que, ainda que recorra aos espelhos retrovisores, não consegue enxergar o veículo, motocicleta ou pedestre que passa por ele à sua direita ou à sua esquerda, mas o outro está lá, fisicamente, mas não consegue ser visto e nesse momento está formada as condições totais de acidentes de percurso que nos causam boas dores de cabeça.

A ideia do exemplo ao lado visa ilustrar diversos problemas que temos no ambiente de trabalho e muitos deles ficam ocultos pelo índice de cegueira.

Podemos afirmar que problemas da comunicação, de relacionamento e de entrega nos ambientes organizacionais são oriundos desse índice e impactam os resultados, inclusive econômicos.

Tomemos a figura de um líder: o quanto ele conhece realmente o seu índice de cegueira? Qual é o grau de conhecimento que possui sobre as suas decisões e a repercussão dessas? Será que se tem o conhecimento em profundidade das práticas que geram resultados positivos ou negativos no negócio?

É claro que o líder possui uma imagem do negócio, do mercado, de si próprio e da sua liderança. Mas essa autoimagem é, quase sempre, parcial ou equivocada. Existe um ponto cego, ou seja, percepções e informações que ele não possui, mas que prefere não declarar o seu ponto cego. Talvez por medo ou até competência, mas o fato é que essas informações não são buscadas para serem disponibilizadas e tratadas. Elas existem, povoam as mentes e ambientes, mas o líder não as reconhece. E sem essas informações, seu campo de ação é limitado. Pouco pode fazer para melhorar. Afinal, ninguém reconhece aquilo que desconhece e só é possível agir sobre o conhecido. Precisamos de outros elementos para ampliarmos a auto percepção e o autoconhecimento.

Por isso preparamos, em parceria com a FAPPES, uma oficina do Programa INSIGHTS – Desenvolvimento de consciência nos negócios, pois em proporção maior ou menor, todos são impactados pelo índice de cegueira. Quando o ponto cego não se revela, pensamentos são ocultados, sentimentos são omitidos, opiniões são reservadas, ideias são apagadas e informações de todos os tipos são dissipadas. Com isso, as empresas vivem de meias verdades ou meias mentiras, jamais uma verdade plena. E onde não há verdade, não há vida. Isso explica, em parte, porque existem tantas empresas sem vida.

O maior impacto do índice de cegueira é a manutenção de um ambiente de trabalho com baixa energia, baixo nível de aprendizado e comprometimento, além das relações evasivas ou apenas utilitárias, todas com pouca transparência e aproveitamento ínfimo dos talentos e oportunidades e não para por aí, isso pode estender-se para o mercado e para os clientes gerando, portanto, perda de clientes e de vendas, de aprendizado e de lucros.

O que fazer diante disso tudo? Conhecer o índice cegueira é o primeiro passo a ser dado.

Objetivo:
Saiba como transformar insights em atitudes empreendedoras nos negócios e na equipe.

Conteúdo Programático
• Você realmente conhece seu índice de cegueira?
• Qual é o grau de conhecimento que possui sobre suas decisões e suas respectivas repercussões?
• Conhece em profundidade as práticas que geram resultados positivos ou negativos no negócio?

Palestrante: KEINE ALVES
Graduado em engenharia elétrica pela USJT, eterno discente apaixonado por filosofia na universidade Presbiteriana Mackenzie, Psicodramatista pelo Instituto Superior de Filosofia, Ciências e Letras – Sedes Sapientiæ, Metanóico da jornada 16 e certificado pelo International Coach Comunity. Tem uma percepção ímpar para detecção de situações psicológicas e estratégicas do negócio onde se aplica a lógica do olhar sistêmico, com foco nos fatos considerando as razões intrínsecas e o altruísmo a fim de desenvolver a compreensão integral e verdadeira. Trabalha pela ordem do pensamento, intuição, sensação e sentimento de forma perspicaz e única vivenciando a radicalidade da esperança.