Dia do Pão Dia do Pão Dia do Pão Dia do Pão Dia do Pão

Confira o que aconteceu no evento - 16/10


Clique aqui para ver a galeria de fotos!





O Pão

Os pães industrializados são feitos de farinha de trigo, podem ser fermentados ou não e conter outros ingredientes, como sementes, castanhas e frutas secas. Atualmente há grande variedade de produtos no mercado, com diferentes texturas e formatos, desde os tradicionais aos com ingredientes funcionais.

Pães desde sempre

Uma visão panorâmica sobre o pão.

Comemos pães (ou algo semelhante) há aproximadamente 30 mil anos. Pesquisas recentes apontam que os seres humanos começaram a preparar os primeiros tipos de pão há 30 mil anos – desde essa época, alguns seres humanos já misturavam água e farinha. Mas o alimento começou a se tornar um pouco mais semelhante ao que conhecemos hoje em dia há 12 ou 15 mil anos, quando a mistura de água e farinha começou a ser posta sobre pedras para ‘assar’. Historiadores acreditam que o pão teria surgido na região da Mesopotâmia – atual Iraque – com o surgimento do cultivo do trigo. Cerca de 2.000 anos antes de Cristo os processos de fermentação do pão já eram utilizados.

Leia mais

Pães modernos

Porque a vida mudou.

Pães industrializados há tempos são considerados excelentes aliados da vida moderna. Práticos, pela durabilidade. Criativos pela diversidade de sabores e texturas. Muito saudáveis pela inclusão de grãos cada vez mais aceitos pelas pessoas e indicados por profissionais da saúde. São grandes ícones da alimentação saudável.

Leia mais

Pães funcionais

O que é isso?

Pães funcionais são aqueles que, além de nutrir, contém substâncias comprovadamente capazes de melhorar a saúde, fortalecendo o organismo, ajudando no seu funcionamento, prevenindo o envelhecimento precoce, reduzindo a absorção de gorduras e o risco de doenças. Todos os alimentos têm propriedades nutricionais, mas existem alguns que possuem funções benéficas particulares e, por isso, são classificados como funcionais.

Leia mais
Carboidrato, seu aliado

01Mas e o carboidrato?

Quando pensamos em carboidrato, pensamos num vilão. Engano. Ele é um grande aliado da vida saudável. Saiba mais.

Leia mais

02Nutrição

Alimentação certa em cada fase.

Leia mais

03Vídeos

A Dra. Vanderli Marchiori passa nos vídeos abaixo dicas e informações muito bacanas sobre o consumo dessa delícia chamada pão.

Leia mais

Movimente-se

A importância de se movimentar para alcançar uma saúde plena e uma vida feliz.

A importância de se movimentar para alcançar uma saúde plena e uma vida feliz.

Dia 16 de outubro – Dia Mundial do Pão, Dia Mundial da Alimentação. Vamos comemorar também o Dia Mundial do Macarrão que acontece no dia 25 de outubro.

Por que não associar uma boa alimentação à pratica de atividades físicas e ainda à responsabilidade social?
Que tal doar 15 minutinhos do seu domingo de lazer para que as famílias do sertão nordestino sejam beneficiadas com 1.000 kg de macarrão e 1.000 pacotes de pão de forma sem você ter que botar a mão no bolso?
Já pensou em estar num parque lindo como o Ibirapuera, em São Paulo, e descobrir que aquele inimigo da sua dieta - o carboidrato – na verdade é um grande amigo e que sem ele você não pode viver?
Pois é isso tudo o que vai acontecer e muito mais no domingo 16 de outubro, a partir das 8h.

Participe. Traga sua família para passar horas agradáveis e quebrar esses e outros mitos num local cheio de vida e informações. Esperamos você.

Pão é energia no esporte

A importância de se movimentar para alcançar uma saúde plena e uma vida feliz.

Praticar atividade física regularmente requer o consumo de carboidrato, o nutriente mais importante na alimentação.
Esse nutriente é o grande responsável por maximizar os estoques de energia, antes, durante e depois de praticar exercícios. Esse papel na sustentação e aporte do carboidrato na alimentação é apontado por vários estudos como o grande pilar na melhora do desempenho durante o exercício. A ingestão inadequada desse importante nutriente acarreta em cansaço, fadiga e lentidão no processamento de informações pelo cérebro prejudicando substancialmente o equilíbrio e a prática de atividades. Isso se deve ao fato de que os estoques desse nutriente no organismo são limitados, diferentemente dos estoques de gordura.

Um indivíduo sedentário deve seguir uma alimentação que forneça pelo menos 45 a 55% do total calórico de uma dieta de 2.000 calorias em carboidrato. Porém para quem pratica atividade física ou é atleta essa quantidade deve ser maior e vai variar de acordo com o tipo, frequência e intensidade dos treinos mas podemos falar em até 65% do total necessário numa dieta de 2.000 calorias.

Curiosidades - Você sabia?

No Egito antigo, o pão servia para pagar salários. Um dia de trabalho valia três pães e dois vasos grandes de cerveja.

Para os cristãos, o pão simboliza o corpo de Cristo. Na oração do “Pai-nosso” é pedido a Deus “o pão nosso de cada dia nos dai hoje…”. 

Para os judeus, o fermento simboliza a corrupção. Por isso, eles só ofereciam a Deus pães ázimos, sem fermento. Até hoje, esse é o pão consumido na Páscoa, época em que é proibido comer qualquer alimento fermentado. 

O maior consumidor de pães do mundo é a Rússia (acredite se quiser, são 120 quilos por pessoa ao ano). O segundo maior é o Chile (93 quilos por pessoa).

Ao longo da história, a posição social de uma pessoa podia ser discernida pela cor do pão que ela consumia. Pão escuro representava baixa posição social, enquanto pão branco, alta posição social. É porque o processo de refino da farinha branca era muito mais caro. Atualmente, ocorre o contrário: os pães escuros são mais caros e, por vezes, mais apreciados por causa de seu valor nutritivo.

O pão chegou a ser inclusive um dos motivos de eclosão da Revolução Francesa. Base da alimentação da população francesa há séculos, a severa queda na produção do cereal tornou o alimento caro e escasso. Este foi um dos motivos que levaram à revolta da população e à queda do rei Luís XVI. Às vésperas da Revolução, Maria Antonieta, rainha da França, foi informada de que o povo passava fome, ao que ela respondeu: “Se não tem pão, que comam brioches”. Não se sabe se o diálogo realmente aconteceu, mas a frase ficou famosa. Por essa infeliz resposta, ou pelos demais atos, a rainha teve a cabeça cortada na guilhotina!

Em 1869, os turcos otomanos se preparavam para invadir Viena, na Áustria. Planejavam atingir o centro da cidade à noite, cavando galerias subterrâneas. Os padeiros vienenses, que começavam seu trabalho durante a madrugada, deram o alarme. O exército local conseguiu evitar a invasão. Para comemorar, o imperador da Áustria pediu que os padeiros fizessem um pão que tornasse o feito inesquecível. Assim nasceu o croissant, representando a lua crescente do estandarte otomano.

A torrada teria sido inventada pelo padeiro Charles Heudebert, em 1903. Engenhoso tanto quanto parcimonioso, o senhor Heudebert se recusava a deixar o pão endurecer caso não tivesse sido vendido. Cortava em fatias e grelhava. A receita pareceu boa, do ponto de vista comercial, e de fato era. Não demorou muito tempo para que nascesse a indústria da torrada. Mas a torrada familiar existia, naturalmente, há muito tempo: a palavra, aliás, já tinha cem anos.

Você sabe o por quê da expressão “pão duro”? Porque os avarentos tinham mania de guardar pão dormido para ser comido aos poucos, ao invés de comprar mais.

De onde vem a expressão “comer o pão que o diabo amassou”? As antigas lendas medievais descreviam o demônio como um padeiro, sempre oferecendo um pão tremendamente indigesto.

O pão sovado vem de Portugal e tem esse nome por ser amassado/sovado diversas vezes, tendo como resultado uma massa macia e com sabor adocicado.

Em Roma, o pão era um dos componentes da política do panis et circenses (pão e circo), utilizada pelos imperadores para manter uma satisfação aparente da população, desviando a atenção das disputas de poder e das condições de vida a que o povo estava submetido.

Contato

Faixa etária: