Notícias

Em agosto, foram criados 1.126 postos de trabalho, segundo pesquisa da FecomercioSP

O comércio atacadista do Estado de São Paulo demonstra reação à crise e seu mercado de trabalho pelo segundo mês consecutivo apresentou saldo positivo de empregos. Em agosto, o setor abriu 1.126 postos de trabalho, resultado de 14.675 admissões e 13.549 desligamentos. Os saldos positivos de julho e agosto interromperam um longo período de 10 meses de saldo negativo no mercado de trabalho do atacado. Com isso, o setor encerrou o mês com estoque total de 494.118 trabalhadores formais, redução de 3,0% na comparação com o mesmo mês do ano passado. No saldo acumulado de janeiro a agosto, porém, são 5.298 empregos formais a menos e em doze meses a perda alcança 15.151 vagas.
  
De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, é importante ressaltar que tradicionalmente o saldo de empregos formais do comércio atacadista do Estado de São Paulo nos meses de agosto é positivo devido à data-base de grande parte das CCTs (Convenções Coletivas de Trabalho) ser em 1° de setembro. Apesar disso, a entidade aponta ser nítida a reação do mercado de trabalho do setor, não apenas por ter dois meses seguidos de geração de vagas, mas pelo crescimento significativo do saldo positivo de empregos na comparação com agosto de 2015.
  
Os dados são da PESP Atacado (Pesquisa de Emprego no Comércio Atacadista do Estado de São Paulo), realizada mensalmente pela FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e das informações sobre movimentação declaradas pelas empresas do atacado paulista.

Fonte: Supermercado Moderno