Notícias

46% dos consumidores fazem compras depois de assistir vídeos

Quase metade (46%) dos consumidores realizaram compras depois de ter visto um vídeo de branded content, enquanto 32% consideram a hipótese, revela um novo estudo global da Vanson Bourne feito para a Brightcove, intitulado 'The Science of Social Video: Turning Views into Value'. Foram analisadas as preferências de vídeos de 5.500 adultos nos Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha e Austrália.

A pesquisa reforçou as evidências de que os consumidores em todo o mundo estão altamente envolvidos com as mídias sociais e vídeos e mostrou também como eles estão dispostos a interagir com marcas que oferecem boas experiências de visualização.

De acordo com o estudo, 81% das pessoas interagem com as marcas nas redes sociais.

79% dos entrevistados concordaram que o vídeo é a maneira mais fácil de conhecer uma marca, enquanto quase um terço (31%) classificou o vídeo como sua principal escolha de conteúdo de marca nas redes sociais.

David Mendels, CEO da Brightcove, destacou que o tempo que os consumidores gastam nas mídias sociais representa uma grande oportunidade para as marcas, ressaltando, porém, que os anunciantes precisam ter abordagens diferentes.

A pesquisa revelou que o YouTube responde pela metade das visualizações de vídeos online, seguido pelo Facebook (36%) e os outros 14% divididos entre Snapchat, Twitter e Instagram.

O Facebook é a rede social em que os consumidores estão mais propensos a curtir um vídeo (51%), compartilhar (44%) ou comentar (32%), mas ao mesmo tempo eles exigem que esse conteúdo de marca seja relevante (44%) e envolvente (40%).

O poder da recomendação surgiu como outra importante consideração paras as marcas porque 45% dos entrevistados disseram que são mais propensos a falar sobre uma marca para a família e amigos depois de assistir a um vídeo de branded content nas redes sociais. Além disso, 76% afirmaram que era mais provável assistirem a um vídeo se fosse recomendado por parentes e amigos.

“As marcas precisam estar preparadas para servir, gerenciar, medir e adaptar seus conteúdos rapidamente nas mídias sociais”, finalizou Mendels.

Fonte: Datamark